sexta-feira, 31 de outubro de 2014

BLOODY MARY - texto da Marina, garimpado através do grupo FACEBLOGS (facebook)


Há dois anos atrás, participei de uma Blogagem Coletiva sobre lendas urbanas. Sendo hoje Halloween, resolvi ressuscitar o conto que escrevi na época:
http://www.devaneiosedesvarios.com/2012/10/blogagem-coletiva-lendas-urbanas-bloody.html

Blogagem Coletiva Lendas Urbanas - Bloody Mary


        Essa noite, mais uma vez, eu fiz. 
    Sim, sei que é minha maldição. Odeio-a mas preciso dela para continuar vivendo. Odeio eles, elas, a todos! Malditos sejam!

     Mas afinal, que sentido pode ter minha (sobre)vida?
     Nada posso fazer até ser invocada. Droga! Queria acabar com tudo, de uma vez! Mas sei que se fizer isso, eu acabo junto...
   Passo o dia, a noite toda, às vezes semanas, apenas vagando.Apenas esperando.
     Não tenho mais objetivos, mas preciso seguir em frente. Sou como um  animal faminto, esperando a próxima vítima. 

"Bloody Mary"

   Ouço meu nome novamente. Está chegando a hora. Desgraçados, malditos! Sinto um turbilhão percorrer-me. Frenesi. Ira. E eles ainda caçoam! Logo conhecerão a verdade.

"Bloody Mary"

    O rapaz sorri, em frente ao espelho. Ouço o som das risadas de alguns amigos, vejo a expressão assustada de outros. Começo a ver tudo vermelho. A ira está tomando conta de mim, o desejo é quase palpável.  Me aproximo.

 
Um silêncio se faz. O rapaz continua sorrindo.
 Vamos lá, meu jovem.. .mais uma vez....apenas mais uma vez.Eu preciso que você diga!!!

"Bloody Mary"

  Apago meus últimos resquícios de racionalidade  e cedo mais uma vez ao meu ímpeto.Faço de forma rápida.
   Ah, o doce prazer... agora eles são meus.

"Arrghhh"!!! "Estou cego"!!!

     Vejo os outros fugirem apavorados. Mas não sinto nem remorso, nem vejo mais tudo vermelho... agora é o êxtase. Fito os olhos ensanguentados que pertenceram outrora a mais um ser humano..

      Estúpidos. Quem mandou me desafiar?
Enquanto vocês existirem e quiserem me testar... permanecerei viva! Castigo a incredulidade de vocês!

      Vou embora, levando em minha mão mais um par de olhos. Sei que a satisfação durará pouco tempo, e logo terei de procurar mais incautos, paranovamente sentir prazer. Maldito ciclo que nunca se encerra! Minha razão para sobreviver é ao mesmo tempo minha maldição. Não tenho descanso. Preciso fazer, preciso sentir o frenesi de novo, preciso mostrar a eles com quem estão lidando! Fiam-se nas aparências, me desafiam, riem de mim. O troco tarda, mas não falha!
       Saboreio mais um pouco o doce gosto da vingança.
Só lamento precisar esperar, mais uma vez.. para poder atacar de novo.O que importa, é que este dia sempre chega... e eu posso deliciar-me com minha vingança, outra e outra vez. Quem sabe o(a) próximo (a) seja você?

3 comentários:

  1. Olá, boa noite, Curitiba!
    Não conhecia o blog.
    gostei da ideia expressa no cabeçalho.

    Saudações poéticas!

    ResponderExcluir
  2. Oi jan, assustadora demais esta lenda, amei aqui amiga
    Jan me visite tbm:
    Gilvaniaevans.com

    ResponderExcluir


Gostou ?????