sexta-feira, 19 de setembro de 2014

POESIA ORBITAL - texto da Calu, garimpado na blogosfera

Poesia Orbital



Em tempos de escuta clandestina e também escancarada, fotos e selfies, big-brothers e tudo o mais que rola acima do chão e abaixo das nuvens ( e dentro delas) nem o espaço escapa incólume desta onda viral.São foguetes, sondas, telescópios, artefatos observadores, captadores dos sinais da última fronteira: o espaço sideral.
Já enviamos diversas provas de nossa existência e ficamos à procura das provas de existências alheias.Produziu-se um lixão espacial gigantesco, mas nem isso desanima novos experimentos, feito o lançamento da sonda Maven, em novembro do ano passado, com a missão específica de estudar a atmosfera de Marte, analisar e descobrir como foi a sua evolução nos últimos milhares de anos e assim reconstituir a história do Planeta Vermelho.





Mesmo sem ser tripulada, esta sonda leva em si uma delicado testemunho nosso, expressão de sensibilidade e quem sabe arauto de boas intenções; ela tem um "haicai" do brasileiro Donny Correia acoplado ao foguete.

" Matriz rubra do além
Onde o nada vive, dizem
Agora venha à vida." 


O haicai é a forma de poesia mais praticada hoje em dia, no Brasil e agora também no espaço.Que seja anunciadora do belo, do bom, do terno que ainda reside n'alma humana.Já imaginaram se ao invés de chuva de meteoros choverem singelos e encantadores haicais? 


Cálida rosa orbital,
grafa em delicadeza,
proclames poéticos.
(Eu)

Um comentário:

  1. Olá, Meninas!
    A Calu escreve divinamente sobre temas variados e tem sinestesia até fora da poesia...
    Bjm fraterno às duas

    ResponderExcluir


Gostou ?????