terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

ELA EXISTE - texto de Felisberto Junior

Ela existe

(...) tinha passado mal a noite toda e a manhã também...  recostei-me na cadeira, deixei-me ficar assim por uns minutos, depois levantei-me. 
Vesti-me em movimentos exaustos, enfadados, lentos...
Quão irônico. Não havia tempo.

A vida estava tão solitária e corrida  para mim... não havia tempo para nada.  Nenhuma  visita, somente garrafas de vinho vazias e cinzeiros cheios. Muito vazio em casa. E muito trabalho na empresa...tantos anos assim.

Saí então pensativo, caminhando devagar. Assoviei para um táxi que passava e mandei tocar a toda pressa para a empresa.E o trânsito com todo aquele movimento irregular, caótico, frenético. Os automóveis em correrias loucas, pessoas apressadas nos seus afazeres. 

A companheira  ideal pode surgir na curva de qualquer rua, pensava. 
E na curva fechada,  uma jovem bem discreta e linda,   que atravessava a rua...

Pedi para o taxista parar. 
Desci naquela rua estreita. Ainda aquela multidão apertada.

Olhaste para mim, estavas a uns escassos metros à minha frente. 
 Seus olhos , mais belo infinito, um mundo de encanto, que me fizeram estremecer.
Olhar que   penetrou no mais profundo do meu ser.
Senti no coração, a expressão do olhar que  dizia tudo que eu queria ouvir. 
Soube me dizer somente com o olhar tudo o que precisa dizer. 
  Um olhar de quem me procurava por toda a vida.  
 Seus olhos...

Num instante. Somente num instante. 
Daqueles que quando se sentem são para sempre.
A minha respiração fica opressa. Meu coração dispara. As mãos suam. 
Sei de minhas limitações.  Pode ser que nunca mais irei vê-la.
 Que nunca venha sequer a se tornar realidade.
   Nem tudo que se quer, se tem. Nem tudo que se deseja, podemos ter.
Se por acaso não posso,  vai ficar no meu lembrar.
Mesmo que nunca saiba do poder que teve sobre mim...

Passei bem a noite toda e a manhã também, recostei-me na cadeira, deixei-me ficar assim por uns minutos, depois levantei-me. 
Vesti-me em movimentos felizes, alegres,rápidos...
Quão irônico. Tenho todo o tempo do mundo...

Saí então contemplativo, caminhando apressado. Assoviei para um táxi que passava e mandei tocar  para a empresa. 

A companheira ideal pode surgir na curva de qualquer rua, pensava. 
E na curva fechada,   a sensação mágica de saber que ela existe...
Mix de Prosa Poética. 

2 comentários:

  1. Jan, que maravilha você ter trazido este texto do Felisberto aqui! Eu não o tinha lido e realmente não podia perdê-lo. Um texto estupendo!
    Beijo.

    ResponderExcluir
  2. OI JAN!
    CONHEÇO O TRABALHO DO FELIS, QUE ALIÁS É DE PRIMEIRA E NOS BRINDA COM ESTE BELO TEXTO.
    PODES COMPARTILHAR SIM, SERÁ UM PRAZER, POIS SE QUERES FAZÊ-LO É PORQUE GOSTAS DE MEU TRABALHO.
    ABRÇS
    http://zilanicelia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir


Gostou ?????